A flacidez é incômoda. A sensação de a pele estar mais fraca, caída… E as causas de a nossa pele perder o tônus muscular são muitas. Emagrecer e ganhar peso com frequência, crescimento acelerado, envelhecimento, gravidez… 

Tecnicamente falando, a flacidez é o processo em que ocorre uma perda da estrutura que dá suporte ao tecido cutâneo, ou seja, que dá sustentação à pele. Com isso, a pele assume uma aparência mais caída, como se estivesse envelhecida.

É normal que durante o tempo e o nosso processo de envelhecimento a pele vá perdendo o tônus muscular. Assim como após algumas mudanças físicas que esticam a pele.

E como essa mudança na nossa pele não é muito positiva para a nossa autoestima, o mercado estético desenvolveu alguns tratamentos para resolver a questão da flacidez. Entre eles, temos a criofrequência

O que é a criofrequência? 

Basicamente, a criofrequência é um procedimento estético que faz a combinação da radiofrequência com frio. Esse tipo de combinação provoca alguns efeitos, como a destruição das células de gordura, assim como a estimulação da produção de colágeno e elastina. 

Quando falamos de flacidez, a produção de colágeno e elastina são essenciais para suavizar essa aparência flácida da pele.

É por isso que a criofrequência é procurada para o tratamento da perda do tônus tissular (pele).

Para aprofundarmos, a criofrequência é um aparelho que vai trabalhar com temperaturas bem distintas, temperaturas opostas. O aparelho chega até a -10 graus, enquanto a radiofrequência pode gerar uma temperatura de até 55 graus internos. 

Só para ter uma ideia, a ponteira do aparelho, quando não está sendo utilizada, fica até congelada…

Como funciona o procedimento?

Para realizar a criofrequência, geralmente utiliza-se glicerina para fazer a condução da radiofrequência. A radiofrequência vai penetrar de uma maneira mais confortável nos tecidos por conta da baixa temperatura. 

E é exatamente essa radiofrequência transmitida com ponteira resfriada que torna o processo mais eficaz.

Mas fique tranquila, apesar de parecer assustador esfriar a sua pele a -10 graus, esse tipo de tratamento é extremamente seguro. Além disso, é uma técnica não-invasiva e completamente indolor. 

Mas claro, é importante destacar que o procedimento deve ser realizado apenas por locais especializados com profissionais capacitados.

Informações gerais sobre a criofrequência

Se você ficou curiosa, temos algumas informações gerais sobre o procedimento que podem te ajudar a entender um pouco mais sobre como funciona.

Geralmente são realizadas de 8 a 10 sessões quando a aplicação é feita no corpo, já para o rosto, de 6 a 8 sessões. 

Quando a criofrequência é utilizada para tratamento de flacidez, buscamos sempre dar um intervalo de 15 dias entre a realização das aplicações para que dê tempo de a região tratada se recuperar.

E se você não sabia, esse tipo de procedimento, apesar de não ser focado na redução de gordura, também pode ser utilizado para este fim. E aí, é claro, algumas coisas mudam, por exemplo, para redução de medida a criofrequência pode ser realizada de forma semanal.

Outra dúvida bastante recorrente em relação ao tratamento é sobre os riscos. Mas como já falamos, os riscos são mínimos, pois é um procedimento não invasivo. Então não, geralmente não possui riscos, mas claro, é necessário realizar o procedimento em lugares confiáveis, em que o aparelho esteja calibrado.

Quanto tempo dura o resultado da criofrequência?

O procedimento dura em média de três meses.

Mas é difícil dizer o tempo exato que dura o resultado da realização da criofrequência, ou seja, pois estamos sempre envelhecendo e perdendo colágeno. Portanto, o ideal é realizar uma sessão 2 meses após o tratamento, para da um novo estímulo de colágeno e ajudar a manter um pouco mais os resultados obtidos.

Claro que isso vai depender muito do tipo de pele de cada um. Se você possui uma flacidez maior, pode ser que os efeitos durem menos.

E quais são as principais vantagens da criofrequência?

Algumas vantagens do procedimento estão ligadas ao aparelho utilizado. Por exemplo, o uso da ponteira resfriada, para levar essa temperatura de -10 graus para os tecidos da região trabalhada auxiliam na maior eficácia do procedimento. Mas, além disso, a criofrequência tem outras vantagens e benefícios:

  • É indicada para flacidez de pele, corpo ou rosto.
  • Rugas e linhas de expressão
  • E também para reduzir medidas.
  • Para tratar flacidez íntima, da vulva por exemplo.

Criofrequência vs. Criolipólise

As pessoas confundem muito a criofrequência com a criolipólise. Isso acontece porque o procedimento de criofrequência também pode trabalhar com a redução de medidas, que é o principal objetivo da criolipólise. Porém, a criolipólise serve apenas para o tratamento da gordura localizada.

E mesmo que possuam essa diferença, a criofrequência pode tratar apenas pequenas áreas de gordura, não sendo indicada para casos em que a quantidade de gordura localizada é maior. 

Portanto, é importante encarar que a criofrequencia traz diversos benefícios sim, mas não esquecer que cada procedimento possui um objetivo diferente.

O queridinho das celebridades

A criofrequência virou o procedimento queridinho das celebridades, mas também pode ser o seu!

Se você se incomoda com flacidez, seja no rosto ou no corpo, esse pode ser um caminho para aumentar a sua autoestima e voltar a se amar. 

Quer saber mais sobre a criofrequência? Converse com a nossa equipe >

Continue acompanhando o nosso blog para não perder nenhuma novidade sobre procedimentos estéticos e conferir dicas de quais são as melhores opções para você.

Agende sua avaliação cortesia ou Ligue: (21) 2135-8174